Largar o vício

Sexo, Drogas E Rock'n Roll

Sentado diante do PC, o cafajeste pena a largar o seu vício: sua Coca KS. Claro que o refrigerante não era como um bom vinho na hora de destravar sua escrita. Nessas horas como ele queria ser prolixo como seu velho ídolo Buk, mas não era assim, fazer o quê? Sofria de doses extremas de travamento e embora não gostasse do termo "bloqueio criativo" já que esse bloqueio era tudo, menos criativo, não encontrava outra maneira de descrever sua catatonia literária.

Precisava adquirir o vício de escrever. Estava decidido, pois assim acreditava poder dar um novo gás ao seu tão defasado portfólio. A sociedade em que vivia pedia produtividade. Pedia não, exigia. Mas era do tipo de artista insano e sempre do lado esquerdo do lugar comum, adepto de toda e qualquer contracultura que fizesse pensar. Mas com isso sofria das perdas e ausências causados pelo tal do "Ócio" nada "Criativo" no seu caso. 


Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018

Sobre o Escritor

Cass Aquino

Jornalista, ator e Palestrante de oficinas sobre comunicação e artes. Bacharel em Comunicação Social Formado em Jornalismo no ano de 2010 pela Universidade do Vale do Itajaí. Foi ator do grupo de teatro de pantomíma Gibbor por mais de 15 anos.

Escreve às sexta.

Comentários