Mea Culpa

Café Subversivo

Por entre a turba,
enlouquecido, buscava
os olhos de minha morte

Em mim, calado,
Vociferavam idéias infames
Me faltava calma,
Me sobrava culpa

O vil "modus operandi",
sempre
Ali, a metros de mim,
Meu destino...

Tocam, ecoam...
É chegada a hora,
"Mea culpa",
Me entrego...

De minha sorte, o tempo
De minha morte, os olhos

=Dom

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016

Sobre o Escritor

Dom Will

Poeta contemporâneo, viajante compulsivo compulsório, escritor de aeroporto, leitor de período integral.

Escreve depois que a patroa dorme.

Escreve às quintas.

Comentários