Na contramão do sistema

Sexo, Drogas E Rock'n Roll

Duas atitudes extremamente nocivas a nós mesmos: "Não tenho nada a perder" e "O que faço não é da conta de ninguém, é problema meu". Gestos desprovidos de qualquer empatia, que tem o seu mais novo reflexo nos haters do mundo virtual e dos críticos ao politicamente correto. Temos sim, sempre muito a perder, pois o que fazemos nunca é a toa.

A melhor metáfora é da pedra jogada em um lago aparentemente calmo e estático: Após ter caído, as ondas seguem se formando a partir do local onde ela perfurou a água. O momento em que a pedra caiu já é passado. Ainda assim, as ondas continuam se movendo.

O que você faz e fala se transforma e transforma o seu entorno. Mas não se trata aqui de uma tola defesa a rasa pregação do pensamento positivo ou do poder das palavras que infesta e contamina, instituições, empresas, colégios e igrejas, enfim toda a parte. Se trata de saber que a nossa simples existência e caminhada vai afetando outras vidas e caminhos.

Sexta, café da coluna ao aroma de Sexo, Drogas E Rock'n Roll(SDR), seria um prato cheio para uma atitude tipicamente "Danilo Gentili e Cia"? Seria um contrassenso as palavras escritas nessas linhas? Na verdade pra quem considera o Cristo e seu evangelho subversivo e gosta de relembrar que foi a igreja instituída que o entregou a morte nas mãos dos Romanos. Essa coluna se mantém na contracultura, contra as culturas que priorizam as instituições ao invés do ser humano. Esse é o real sentido.

Transem, tomem Coca-cola, dancem funk, balada sertaneja ou rebolem como Élvis, mas lembrem-se, nossa liberdade termina onde começa a do outro. Sempre!

Sexta-feira, 02 de Setembro de 2016

Sobre o Escritor

Cass Aquino

Jornalista, ator e Palestrante de oficinas sobre comunicação e artes. Bacharel em Comunicação Social Formado em Jornalismo no ano de 2010 pela Universidade do Vale do Itajaí. Foi ator do grupo de teatro de pantomíma Gibbor por mais de 15 anos.

Escreve às sexta.

Comentários