O Cafajeste e a Feminista IV

Sexo, Drogas E Rock'n Roll

"AINDA ASSIM UM FEMINISTA" - Eduardo pensou isso antes mesmo de Gabriel terminar seu relato. E com tudo isso, ainda assim o seu amigo continuava a defender as mesmas bandeiras. Gabriel, nome de anjo na mitologia Hebraica, não tinha a menor pretensão a qualquer forma de ascetismo ou vida monástica que poderia ser abalizada pelo seu registro de nascimento. Vivia um dia de cada vez, agradecendo a cada amanhecer.

Um cara normal que Eduardo conhecera na cantina da faculdade, e foi através dele que se descortinou diante de seus olhos uma nova forma de encarar uma realidade dura, mas incrivelmente real: A sociedade moderna continua indubitavelmente atrasada em seus conceitos mais essenciais. Ele já conhecia um pouco da história de Gabriel e sabia dos perrengues e incomodações que o rapaz passava com a mãe do filho dele, uma mentirosa compulsiva e quase uma sociopata que se aproveita do machismo latente na sociedade para tentar controlar a todos ao seu redor se fazendo de vítima. 

O único que ela não controlava era Gabriel, o que a deixava em uma possessão dos diabos. E ainda assim Gabriel era um feminista. 

Sexta-feira, 04 de Agosto de 2017

Sobre o Escritor

Cass Aquino

Jornalista, ator e Palestrante de oficinas sobre comunicação e artes. Bacharel em Comunicação Social Formado em Jornalismo no ano de 2010 pela Universidade do Vale do Itajaí. Foi ator do grupo de teatro de pantomíma Gibbor por mais de 15 anos.

Escreve às sexta.

Comentários