Olhos de esperança

Café Subversivo

O que dizer
de teus olhos,
estes planetas,
que me são, em si,
o próprio exercício
da paciência.

O que dizer de ti
Se por descuido
me deixastes
rabiscado n`alma
o desassossego.
Se no desenho,
apalermado,
quase me vi impresso,
e te sinto em mim.

O que dizer
Se numa simbiose louca,
fundiram-se nossos dias,
e dos dias, por dedução,
fundiram-se nossos olhos.
E dos olhos, por esperança,
fundiram-se nossas vidas.

O que dizer destes teus olhos,
se me são, eles mesmos,
espelho do bom passado e
esperança d`um futuro`inda melhor…

=Dom

Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017

Sobre o Escritor

Dom Will

Poeta contemporâneo, viajante compulsivo compulsório, escritor de aeroporto, leitor de período integral.

Escreve depois que a patroa dorme.

Escreve às quintas.

Comentários