Padrão Coxinha

Crônicas de Segunda

Uma vez, participava de um grupo onde um dos colegas estava pra fazer aniversário. Era comum quando alguém fizesse aniversário, trazer um bolinho ou algo assim. Coisa simples, normalmente da padaria da rua do lado mesmo. Como esse colega em questão possuía um poder aquisitivo superior ao dos demais, todo mundo estava na expectativa que seria "A Festa". Ele mesmo chegou a anunciar: - Se preparem, vai ser a festa do ano. Dali em diante eu não conseguia pensar em outra coisa. Pensava: se eu que sou todo pobrinho faço uma festa legal, regada a uma boa torta mineira que minha esposa faz, cento de salgadinhos, refrigerante e a gente quase morre feliz de tanto comer, imagina como será a festa desse cara?

Em resumo, na minha cabeça essa festa teria um milheiro de coxinhas. Pra mim não era uma questão de qualidade (porque coxinha é a qualidade máxima de uma festa), mas quantidade. Porquê pra mim coxinha é tudo o que uma festa precisa pra ser perfeita. Pra minha frustração, na festa só teve aqueles patêzinhos e sucos de caixinha de umas frutas que eu nem sei como são e de onde vêm.

A verdade é que nós gostamos de certos padrões. Gostamos de nos prender a certos formatos. Somos livres e tão livres a ponto de escolhermos ao que gostaríamos de nos prender. Isso é religiosamente, moralmente, e por aí vai. E daí que vem nossos critérios.

Talvez pra alguém, um bom pai seja aquele que leia histórias pros seus filhos antes de dormir, uma boa mãe aquela que tem toda paciência do mundo pra explicar a lição pro seu filho, um bom funcionário aquele que não se importa de trabalhar até mais tarde, um bom patrão aquele que cumprimenta todos os funcionários quando chega no escritório, ou ainda como eu, que acha que uma boa festa é aquela que tem coxinha. Tudo bem ter escolhido se prender a esse padrão, esse modelo. Só não podemos esquecer de respeitar quem escolheu outros padrões e decidiu se prender a outros modelos. Afinal de contas, nem todo mundo gosta de coxinha.

Segunda-feira, 02 de Outubro de 2017

Sobre o Escritor

Tihh Gonçalves

oi será que vai chover seja bem vindo prazer não repara a bagunça te peguei no colo troquei sua fralda poxa que bacana como você cresceu indique pros seus amigos conte pra sua mãe vai com deus beijo.

Escritor de quinta (e dos outros dias da semana também).

Comentários