Palavra Crua

Café Subversivo

Poesia é palavra nua vestida em gala
É palavra crua em pelo, pele e cetim
É sexo sagrado entre artista e linguagem
É sentido escroto estampado em marfim

Poesia é rota de sentimentos
Impressa no léxico a ferro e facão
É o louco voar que se guia nos ventos
É o fogo e a água em um só turbilhão
É a criança que morre e nem chega a nascer
Fotografia do olhar atento de um cego
É o berço indigente do rico que nasce
A pobreza abastada do pobre que sonha
É a arte na veia do triste que escreve
É a morte na vida é o sangue em canção

=Dom

Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2017

Sobre o Escritor

Dom Will

Poeta contemporâneo, viajante compulsivo compulsório, escritor de aeroporto, leitor de período integral.

Escreve depois que a patroa dorme.

Escreve às quintas.

Comentários