Sexta é dia de paz

Sexo, Drogas E Rock'n Roll

Por que hoje eu só quero paz. A calma na alma, apesar das turbulências ao redor. A procura do equilíbrio e a fuga das ansiedades. Um bom sexo, tão bom quanto um bom café matinal. Tanto faz, as vezes com carinho, outras vezes com pegada. Diz a minha parceira de taras e aventuras que o coração do escorpião está no órgão sexual. Eu quase concordo, pois diria além, que a sexualidade do escorpião é tricotômica = Corpo, alma e espírito.

Será possível ser como o velho Buk sem as cervejas e o cigarro? Pois é, sou um careta assumido e por isso tenho minhas dúvidas em relação a coluna Sexo, Drogas E Rock'n Roll. Como lema de uma geração que hoje acredito ter falhado seriamente em seus ideais. Queriam os hippies a paz? Como movimento que gerou um comportamento coletivo de contracultura dos anos 60 deixaram seu legado?

Vivemos nesse 2017 uma onda conservadora mundial e que se espelha de forma perigosa em nosso país. Nossos irmãos, pais, mães, amigos. Tenho 40 anos, então posso dizer que estou vivendo pela segunda vez a demonização da esquerda e isso aliado ao fato do culto aos heróis, me preocupa. A busca por salvadores da pátria que salvem o país de nós "esquerdopatas". E toda tentativa de diálogo não prospera pois nenhum argumento derruba ídolos gerados na histeria coletiva. Essa catarse da massa com palavras de ordem radicais desfaz toda tentativa de construir um pensamento racional.

E sinceramente muitas vezes somos vencidos pelo cansaço e desanimo. É como um companheiro do mais café postou outro dia em uma rede social: Ele não acreditava que ainda tinha gente teimando sobre a terra ser plana. Por aí se vê que não nos sobra nada que nos convença a tentar.

Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2017

Sobre o Escritor

Cass Aquino

Jornalista, ator e Palestrante de oficinas sobre comunicação e artes. Bacharel em Comunicação Social Formado em Jornalismo no ano de 2010 pela Universidade do Vale do Itajaí. Foi ator do grupo de teatro de pantomíma Gibbor por mais de 15 anos.

Escreve às sexta.

Comentários