Torsilax

Sexo, Drogas E Rock'n Roll

Sexo, Drogas(Torsilax-Já que a dor no braço e costas está insuportável) e Rock´n Roll(Não, eletrônica: Mind c/ Kai de Skrillex & Diplo), é o que temos pra hoje, Vou contar um segredo sobre a coluna de sexta a sua SDR: Ela é escrita na quinta a noite. Sim, seu café geralmente sai fresquinho e agendado pra ser servido pra vocês as sete horas da matina.

Eis o refrão da música que embala o barista:

"I'ma show you how, show you how, show you how to love again"

"Eu vou te mostrar como, te mostrar como, te mostrar como amar novamente"

Acho que o grande segredo do ativismo virtual é não desistir, apesar do intenso bombardeio de vozes sob a máscara da liberdade de imprensa mas que no fundo querem é a liberdade de ofensa. Sim hoje a tarde eu caí na besteira de abrir portais de notícias e ler os mais diversos comentários. Em especial uma notícia sobre mortes de negros nos EUA. Eu sei, não deveria ter ido na parte dos comentários, mas quando eu vi já estava lá e era tarde demais, comecei a ler um depois do outro. Me vem tanta coisa na cabeça. O racismo destilado pelo teclado como um veneno, muitos podem ser trols e espero sinceramente que não seja o que pensam de verdade sobre o assunto. Mesmo sendo empático e tentando entender que tem um ser humano do outro lado da tela, que está a escrever aquilo, não consegui me colocar no lugar deles. A algo de surreal nesse mundo virtual dos haters. Precisamos ensina-los a amar novamente.

Não tem jeito. Sabemos que aqui e acolá o ódio virtual já tem extrapolado a internet e tem tido seu reflexo em comportamentos de agressão no nosso mundo real. A pena de morte seletiva desses haters, só mostra que eles tem os seus bandidos de estimação como o salvador da pátria e herói nacional Eduardo Cunha. As vozes que não são poucas mostram que devemos nos preocupar com eles sim. Não é um ou dois, mas está se formando um novo status quo. Um novo senso comum que domina mentes e coração para o mal no nosso país. A lei está acima da lei. Direitos Humanos virou coisa de esquerdista. E eu te pergunto, se nos calarmos e não formos do contra, não combatermos com o que temos em mãos, eu por exemplo, posso clamar por sanidade nesse espaço as sextas feiras que seria uma coluna pré baladas, no entanto, cada vez mais urge erguer a voz, a escrita, em todo tempo e lugar.

Precisamos ensiná-los a amar novamente.

Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

Sobre o Escritor

Cass Aquino

Jornalista, ator e Palestrante de oficinas sobre comunicação e artes. Bacharel em Comunicação Social Formado em Jornalismo no ano de 2010 pela Universidade do Vale do Itajaí. Foi ator do grupo de teatro de pantomíma Gibbor por mais de 15 anos.

Escreve às sexta.

Comentários