Vamos parar

Sexo, Drogas E Rock'n Roll

Abandonei debates teológicos a algum tempo já, alguns amigos que fiz no percurso estranham a mudança, que por vezes nem consigo nem tento explicar. Mas a minha parada se deu não por qualquer motivação agnóstica, se deu mais por uma coisa que em linguagem coloquial se chama "falta de saco". Entediado com os loops infinitos em torno de ideias pré concebidas e totalmente alicerçadas por pré conceitos dos quais seus felizes proprietários não se dignam a abandonar. Fé de mais, Fede mais que qualquer ceticismo. Atitudes que foram causando asco. Culturas nauseantes e por que não dizer, entediantes.

Por outro lado vejo pessoas que largam esse ambiente de fé, do qual eu vim, mas não abandonam velhas crenças e hábitos e se recriminam por não participar mais das liturgias e rituais semanais. Tem também outras que não se recriminam, mas culpam os seus antigos guias e companheiros de reza. "não vou mais por causa de fulano ou sicrano", ou por causa de "escândalos". Só tenho uma coisa para dizer, se você age assim, você saiu do sistema, mas o sistema não saiu de você. Virou um revoltado online, um hater que não entende que o ambiente de fé terá pessoas de todos os tipos, e que tenham "pecados" diferentes dos seus.

É apenas um "desigrejado" mas com todo o peso e carga de um jugo que está dentro de sua própria mente. O que é diferente de quem adota uma postura agnóstica e confessa que sabe que não sabe. Encara como mito os ensinos de outrora e não é apenas um desigrejado, mas alguém que não se coloca sobre as ordens de gurus, pastores, padres, guias espirituais, etc. Sem intermediários em sua busca para encontrar ou se encontrar consigo mesmo e com o divino. 

"Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses?" João 10:34

Parem de ser dependente espirituais e de submeter suas mentes a todo tipo de manipulação. Vamos parar e realmente evoluirmos enquanto humanos. Sejamos então iguais. Irmãos. Sem hierarquia ou superiores. Então quem sabe, revelando em humildade toda nossa ignorância sobre o oculto, no mais sincero sentimento SEM GNOSE alguma, iluminemos uns aos outros, não como canais especiais ou gurus escolhidos numa falsa ideia de chamado especial para alguns, mas praticando um sacerdócio universal para todo e qualquer humano que cruze nosso caminho.

(Eu escrevo essa reflexão dentro de minha tradição materna cristã, mas a essência não se resume a ela. Você se quiser pode adaptar para a sua própria crença, seja qual for, judaico cristã, hindu, de matizes africanas, etc e tal).

Sexta-feira, 01 de Setembro de 2017

Sobre o Escritor

Cass Aquino

Jornalista, ator e Palestrante de oficinas sobre comunicação e artes. Bacharel em Comunicação Social Formado em Jornalismo no ano de 2010 pela Universidade do Vale do Itajaí. Foi ator do grupo de teatro de pantomíma Gibbor por mais de 15 anos.

Escreve às sexta.

Comentários